159/365 UM INSTANTE DE AMOR

Ah os novelões franceses.

De novo.

Depois da Natalie Portman e da filha do Johnny Depp, a Lilly Rose, exagerando como falei outro dia, agora é a vez da Marion Cotillard.

Esse Um Instante de Amor não é de todo ruim, na verdade ele até é interessante. Mas o que me deixa bolado é o tom novelesco desses filmes ditos sem pretensões.

O filme é bem escrito, mas tem uns exageros e uns descuidos que não poderiam nem deveriam haver., culpa da mão pesada da diretora Nicole Garcia.

Marion faz uma mulher com um apetite sexual que deixa todos de sua vila chocados e faz com que sua família force um casamento para que ela sossegue a periquita, literalmente.

Isso uns bons 50 anos lá atrás onde as nossas nóias atuais ainda não tinham sido “inventadas” ou descobertas, melhor dizendo.

A nóia dela é grande, tanto que mesmo aceitando o casamento, acaba tentando viver como ela é. Só que isso termina com ela sendo internada em um sanatório e lá ela vive uma grande paixão, talvez a grande paixão de sua vida, o instante de amor.

Adivinhem com quem?

Quem?

Claro que o onipresente Louis Garrel.

Não que eu esteja reclamando da presença do ator, mas podia variar, né?

Ele já tá virando o Selton Mello do cinema francês, guardadas as devidas proporções estratosféricas.

Um charme do filme pra mim é quando a família da personagem de Cotillard vai pra Lyon e tudo se passa na rua paralela de onde eu morei.

Escorreram lágrimas saudosas.

156/365 ALÉM DA ILUSÃO

Ah, esses filmes que parecem uns novelões.

Além da Ilusão é um desses filmes com a maior pinta de obra prima ,com dinheiro, com um belo elenco, com uma ideia linda de contar uma história do cinema mudo francês mas que tudo vai por água abaixo por um monte de razões, mas a principal talvez seja a inaptidão da diretora Rebecca Zlotowski.

A história de duas irmãs que viajam pela França fazendo sessões de “magia”, onde uma delas é uma paranormal/sensitiva que conversa com os mortos acaba se transformando num draminha sem graça e bem raso quando elas acabam se envolvendo com um produtor de cinema mudo que atinge orgasmos quando entra em contato com o além e convida uma das irmãs pra ser atriz, já que ela tem uma boa expressão facial.

Faz-me rir.

O foda é ter um elenco com Natalie Portman, Lily-Rose Depp, Emmanuel Salinger e Louis Garrel (que tá virando o grande extra do cinema francês) e desperdiçar num arremedo de direção de atores. 

Repito: como você desperdiça a Natalie Portman contracenando com o Emmanuel Salinger? E ainda a filha do Johnny Depp louquinha? E o Garrel de coadjuvante?

A chamada desse filme é: “existe vida após a morte”? Por esse filme concluímos que não existe nem antes e ponto final.

Decepção.

Cannes 2017 – Primeiro tapete vermelho

Hoje começou o Festival de Cannes 2017 e depois da estreia para a imprensa do documentário dirigido pela atriz inglesa Vanessa Redgrave sobre os refugiados na Europa, a noite lá teve o primeiro tapete vermelho com a estreia hour concours do filme Ismael’s Ghosts de um dos meus preferidos Arnaud Desplechin, com o elenco dos sonhos, Marion Cotillard, Charlote Gainsbourg e Louis Garrel.

Agora as lindas:

E mais cedo ainda teve pela cidade as deusas Marion Cotillard e Monica Bellucci.

As estrelas de Cannes 2016.