202/365 THE WHITE KING

E viva a moda da distopia no cinema. The White King se passa ao que parece ser um Inglaterra totalitária e perdida. Um dia, um carro com 2 homens de preto mal encarados estacionam na entrada de uma casa e pedem para conversar com o pai. A mãe e o filho ficam ao longe olhando... Continue Reading →

200/365 O MÍNIMO PARA VIVER

Mais uma estreia da Netflix, mais um filme que, apesar de não ser imperdível, vale a pena ser visto. O Mínimo Para Viver tem um bom roteiro sobre uma garota (Lilly Collins) que sofre de anorexia e que praticamente não tem uma vida por causa da doença. Sua família se preocupa, obviamente, ou pelo menos sua... Continue Reading →

198/365 MARGUERITE

Todo mundo ama o ótimo Florence Foster Jenkins, né? Muito por causa da Meryl Streep, mas muito também pela história doida da ricaça francesa que cantava mas não sabia que não sabia cantar. Mas um conselho de amigo: assista na Netflix Marguerite, o filme francês original de onde o Florence se baseou. O filme é... Continue Reading →

196/365 A INTERVENÇÃO

Vamos deixar uma coisa bem clara de uma vez por todas: eu sou fã de carteirinha do cinema indie americano. A Intervenção é um dos típicos indies com temática clássica de grupo de amigos se encontrando para resolver problema em princípio bem sério. Poderia dizer que o filme é um neto do já clássico O... Continue Reading →

193/365 PILGRIMAGE

Pilgrimage é um filme irlandês bem bacana, tipo de história que eu curto muito. E ainda por cima com 2 atores super relevantes hoje: Tom Holland, o novo Homem Aranha e Jon Bernthal, o Justiceiro da série da Marvel O Demolidor, com série própria pra estrear. Tom tá bem demais no filme, é um belo... Continue Reading →

191/365 COMO VOCÊ É

Como Você É é um puta filme, um dos melhores filmes do ano. Parece que estreou por aqui em dezembro, mas só vi agora. O Como Você É do título vem do As You Are do Nirvana e com essa informação eu digo que o filme é completamente Nirvana vibes. Prepara. Começa que a trilha... Continue Reading →

Tilda, a Diva.

Em homenagem ao porcão fofo coreano doidão do filme OKJA, que estreia hoje na Netflix, umas fotos bem animais de Tilda Swinton, Diva master da porra toda. O filme do diretor Bong Joon Ho com o também divo Jake Gyllenhaal causou em Cannes esse ano porque, competindo na seleção oficial, foi bem criticado por ser um... Continue Reading →

167/365 DESCONHECIDA

Esse é um daqueles filmes que deveriam ser maravilhosos mas que no fim deixam a desejar. Num jantar na casa do personagem do sempre ótimo Michael Shannon, seu colega de trabalho leva sua nova namorada que na verdade é o velho amor da vida de Shannon que desapareceu do nada e anos e anos depois... Continue Reading →

163/365 EU SOU MICHAEL

O James Franco insiste em fazer os filmes pequenos e indies e gays dele e eu insisto em assistí-los. E continuo me decepcionando. Depois de King Cobra, a porcaria contando uma historinha do mundo do pornô gay americano, agora ele faz esse I Am Michael, que conta a história de um ativista gay que encontra Deus... Continue Reading →

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑