A racha da Bjork.

Levar pé na bunda funciona pra artistas.

Geralmente nesses momentos de raiva e tristeza e chororô os caras criam obras lindas.

Ultimamente os ótimos álbuns da Adele, do Sam Smith, foram criados em momentos de fossa.

E o novo disco da Bjork também está nessa linha.

Depois de terminar um casamentos de décadas com o artista americano (e lindo) Matthew Barney, Bjork lançou esse ano o melancólico “Vulnicura”, onde mais uma vez ela criou instrumentos para encontrar o som ideal pra contar suas histórias tristes de separação.

Para completar, de março a junho o Moma de NY vai receber uma exposição sobre a fofa: em 3 andares ela vai mostrar seus instrumentos malucões, seus figurinos e objetos de shows, uma linha do tempo dos seus 20 anos de carreira e mais um monte de surpresas.

Se ela quiser eu posso emprestar os ingressos de shows do Sugarcubes que eu tenho mais os discos e camisetas autografadas e mais umas fotinhos também.

Como teaser, Bjork lançou um vídeo teaser que é parte de uma das instalações da exposição.

bjork

A música “Black Lake” serve de trilha para a imagem de uma Bjork deitada com musgo em seu corpo e rachada do coração até sua vagina, por onde escorre um rio enquanto ela canta que seu espírito está partido e seu coração é um imenso lago.

A imagem é bonita mas muitas e muitas piadas baixas se passaram pela minha cabeça. Vou poupá-los e colocar o vídeo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: