Mashup animal: diretores de filmes e suas criaturas.

O artista americano Mike Leavitt criou esculturas absurdas de diretores de filmes misturados com suas criações fílmicas.

Tem de Quentin Tarantino a Steven Spielberg, Stanley Kubrick e George Lucas.

Pop até a alma.

“Captain Fantastic” deve ser O filme.

Se não bastasse ter o Viggo Mortensen.

Se já não bastasse Matt Ross ter ganho o prêmio de melhor diretor em Cannes na mostra “Un Certain Regard”.

Se ainda não bastasse ter o melhor trailer dos últimos tempos.

Se não bastasse tudo isso, “Captain Fantastic” ainda ganhou um poster feito pelo geniozinho Shepard Fairey, só o cara que fez o poster “Obbey” do Obama.captain-fantastic1.jpg

Cenas cult como ilustrações infantis.

O ilustrador da Pixar  Josh Cooley lançou o livro “Movies R Fun” onde ilustra cenas clássicas de filmes cult como se fossem cenas de livros infantis.

“Alien”, “2001”, “O Iluminado”, “Pulp Fiction”, O Clube da Luta”, cenas fortes, e violentas com uma carinha fofinha.

Trampo lindo.

“Midnight Special”: Melhor. Filme. Do. Ano.

Jeff Nichols é o meu diretor americano preferido.

Seu mais recente filme, “Loving”, passou em Cannes esse ano com críticas muito boas.

Mas são seus filmes anteriores que me fizeram babar por tudo que ele faz.

“O Abrigo” é um filme de 2011 que conta a história de um pai de família no meio do nada americano que tem visões apocalípticas e não sabe se tem que proteger sua família do que está por vir ou se tem que protegê-los dele mesmo, vivido pelo ótimo e pouco valorizado Michael Shannon.

Seu outro filme lançado esse ano, “Midnight Special”, é o cúmulo do filme maravilhoso de ficção científica e conta a história de um pai (de novo o ator fetiche de Nichols, Michael Shannon) que foge com seu filho do FBI e de uma seita bizarra que estão atrás do garoto por causa de seus dons mais que especiais.

Imagine um drama muito tenso, com muita perseguição policial, violência e que de repente não é nada disso mas sim uma fantasia, uma ficção científica como poucas.

Além de Shannon o filme tem meu preferido Joel Edgerton e a fodona Kirsten Dunst já com cara de mulher e não mais de menina mais nova.

Roteiro foda, paranóias nossas do dia a dia, construção de roteiro incrível e o melhor final de filme dos últimos tempos, “Midnight Special” é daqueles imperdíveis pela tensão, pelo amor dos pais pelo fiho que é praticamente um X-Man.

Imperdível.

Clash e Scorese.

Puta história linda.

Em 1981 o Clash estava em NY pra uma tour, 17 shows no Bonds International Casino na Times Square entre maio e junho.

Diz a lenda que Scorcese e De Niro foram a um dos shows porque eram bem fãs da banda e convidaram os caras pra fazerem a tão famosa ponta que fizeram em ” O Rei da Comédia”.

Mick Jones, Joe Strummer, Paul Simonon e sua turminha—o empresário Kosmo Vinyl, as “cantoras”  Ellen Foley and Pearl Harbour e o diretor de seus clipes Don Letts aparecem nos créditos do filme como “Street Scum” e discutem com Sandra Bernhard.

E o resto é história.

Lista linda de músicas que fizeram sucesso por causa de filmes.

Às vezes tudo o que uma música muito boa precisa é de um forcinha.

Como por exemplo virar trilha de um filme de sucesso.

Em alguns casos, a música acaba tendo um aumento de mais de 40 vezes as vendas como no caso dos Smashing Pumpkins ou uma música com quase 20 anos de idade voltar ao top 10 da parada e vender mais de 170 mil cópias de vendas de disco como no caso do Queen.

O Mental Floss fez uma lista ótima e eu pego uns exemplos deles.

SIMPLE MINDS // O CLUBE DOS CINCO (1985)

YELLO // VIVENDO A VIDA ADOIDADO (1986)

QUEEN // WAYNE’S WORLD (1992)

DICK DALE & HIS DEL-TONES // PULP FICTION (1994)

BLUE SWEDE // GUARDIÕES DA GALÁXIA (2014)

THE SMASHING PUMPKINS // WATCHMEN (2009)

PQP do dia: holograma no vinil da trilha de “Guerra Nas Estrelas: O Despertar da Força”.

Quero já! Já pedi! Pelamordedeus! Pega meu dinheiro! Muita exclamação!

Screen Shot 2016-06-01 at 8.10.11 PM

Acaba de ser lançada uma edição animal da trilha de “Guerra Nas Estrelas: O Despertar da Força” num vinil duplo.

E como a gente sabe, o povo do “Guerra Nas Estrelas” adora um mimo, uma gadget e bobagens pra gente gastar nosso precioso dinheirinho. Mas dessa vez eles conseguiram se superar: colocaram hologramas nos vinis.

WHAT???

Em cada lado B de cada vinil tem de bônus um holograma: a Millennium Falcon em um lado e a Tie Fighter no outro.

Radiohead, Blondie e Alice Cooper já tiveram música recusada pelos produtores de 007.

Sei que a briga sempre é boa pra música tema dos filmes do mais famoso espião do cinema.

James Bond já foi musicado por Duran Duran, Adele, Tina Turner, Madonna, Tom Jones, Shirley Bassey e muitos mais.

Além de “Spectre”, revelada pelo Radiohead ano passado, que foi recusada em prol da música do Sam Smith que inclusive ganhou um monte de prêmios esse ano, tem música do Alice Cooper e do Blondie.

Ouve aí.

As estrelas de Cannes 2016.

“Preacher” e “Outcast”: 2 novas séries animais!

Ontem assisti os primeiros episódios de “Preacher” e de “Outcast” e pirei.

“Preacher” é a adaptação para tv de um dos meus quadrinhos favoritos de mesmo nome.

Escrito pelo grande Garth Ennis, conta a história de Jessie Custer, um pastor de uma cidadezinha do Texas que é possuído por uma entidade meio anjo meio demônio e com isso ganha o dom da Palavra: faz com que as pessoas obedeçam literalmente o que ele diz.

Ele tem uma “turminha da pesada”: sua namorada total bad ass, um vampiro irlandês e o cara de cu, um cara que literalmente tem um cu no lugar da boca, mais ou menos.

Bom, a série estreou domingo nos EUA e finalmente não cagaram uma adaptação da Vertigo pra tv. Depois que “Hellblazer” e “Lucifer” viraram séries cômicas bestas, eu já não esperava mais nada.

Mas “Preacher” é pesada, boa, dramática, violenta, punk, podre como nos quadrinhos. Produzida, escrita e dirigida por Seth Rogen, que se diz fã ardoroso, só posso esperar e desejar que continue nessa pegada bem boa.

E o melhor de tudo, o tal pastor é vivido pelo fodaço Dominic Cooper.

“Outcast” é uma série que estreia em junho mas teve o primeiro episódio vazado. Depois de me decepcionar com “Damien”, série baseada nos filmes “A Profecia”,  eu dei uma chance a essa série de exorcismo e demônios e me dei bem.

“Outcast” conta a história de um cara bem estranho (vivido por Patrick Fugit, o moleque de um dos meus filmes preferidos “Quase Famosos”) que teve alguns casos de possessão demoníaca em sua vida e tem uma forma bem peculiar de lidar com isso. (esse é um resumo bem besta pra não estragar com spoilers)

A série é baseada na HQ de mesmo nome escrita pelo criador de “The Walking Dead”.

Parece que o treco é bom mesmo porque o Cinemax já garantiu uma segunda temporada.