PQP! “Will and Grace” de volta!

E a melhor comédia da tv americana voltou: “Will and Grace” lar de “just Jack” e da melhor de todas Karen Walker, também conhecida como Anastasia Beaverhausen.

Eles acabaram de lançar um vídeo falando sobre a importância de votarem nas eleições presidenciais e mais importante, sobre não votarem no Trump.

Isso mostra antes de tudo o quanto os caras estão desesperados com a possibilidade desse lixo ser eleito.

Citações de filmes.

O designer Ian Simmons criou ilustrações de frases famosas de filmes.

Coisa linda demais.

“Mad Max: Estrada da Fúria”: a continuação e a surpresa.

Só melhora.

Um dos grandes filmes do ano passado, “Mad Max: Estrada da Fúria” vai ter sim uma continuação, ou melhor, uma prequela.

Entrou em pré produção o filme que vai contar a história de Furiosa, a personagem de Charlize Theron que eu considero a personagem principal do primeiro filme.

George Miller, dizem, está animado e a milhão e vai tentar repetir o feito de mais de 378 milhões de dólares de bilheteria no mundo inteiro.

Agora, dê uma olhada nesse vídeo de cenas do “Estrada da Fúria” sem efeitos especiais. Foda! Parece que quase tudo foi feito ao vivo mesmo.

Alexandre Borges, Alexis Arquette e a ética.

Ontem apareceu um vídeo onde o ator Alexandre Borges está sentado a uma mesa com uma travesti no colo. E provavelmente bolando um baseado ou algo parecido.

Essa semana, após a morte da atriz trans Alexis Arquette, um de seus ex-amantes vendeu sua sextape.

No caso de Alexandre, o vídeo foi gravado sem sua autorização mas com o conhecimento da travesti.

No caso de Alexis, o estúdio pornô xHamster comprou a sextape da atriz por 25 mil dólares e ……….. a destruiu.

Ética é respeitar a privacidade das pessoas.

Ética é um conjunto de valores que não mudam, diferentes da moral que muda dependendo de cultura e outros fatores.

Ética é o estúdio apagar ou guardar a sextape pra não verem. Se Alexis quisesse que todo mundo visse ela teria publicado, certo?

Se o Alexandre quisesse que todo mundo visse ele beijando quem quer que fosse e preparando um baseado ele colocaria o vídeo no instagram dele, certo? Ou talvez tivesse dado um ciao enquanto estivessem gravando o vídeo, como uma forma de consentimento.

Mas hoje em dia, como disse uma ignorante, a gente tem que ficar “esperto” o tempo todo porque sempre tem alguém com uma câmera gravando ou fotografando tudo que pode. Não não. Num mundo ético e bacana e feliz o ato da xHamster seria o normal e a arapuca que o Alexandre caiu seria criticada até o fim.

Apenas melhore, mundo.

A vinheta do Radiohead.

O Radiohead, assim que lançou seu álbum novo esse ano, o “A Moon Shaped Pool”, lançou tb uma campanha pra quem quisesse fazer uma vinheta e publicar no Instagram usando 1 minuto de uma das músicas novas, “Daydreaming”.

Essa semana eles publicaram o vencedor, Tim Urlacher também conhecido como Affinitia.

Viagem pouca é bobagem.

Gene Wilder: o Deus da comédia se vai.

Triste fiquei pela morte de Gene Wilder, o grande, um dos maiores de todos os tempos.

Ator americano, comediante, gênio, careteiro no melhor dos sentidos, o cara que serviu de base pra uma pesquisa grande que fiz esse ano sobre comédia e por isso revi toda sua filmografia e tudo que achei dele em vídeo pela internet.

O Willy Wonka original (fora Johnny Depp), Wilder é obviamente mais lembrado por “O Jovem Frankenstein”. Um grande filme mas que muito dele se deve ao seu autor e diretor Mel Brooks. Diz a lenda que Mel, durante as filmagens, dava dicas a Wilder de como dirigir porque achava que ele era bom demais para ser apenas ator.

Em minha opinião os grandes filmes dele, os mais engraçados e absurdos foram de sua dupla com outro gênio, Richard Prior: “Loucos de Dar Nó” e “Cegos, Surdos e Loucos” são exemplos de como uma dupla pode fazer história.

As cenas deles presos em “Loucos de Dar Nó” são aulas de interpretação em dupla, de como um ator ajuda o outro e muda a dinâmica quando precisa.

Em “Cegos, Surdos e Loucos” os caras estão num nível absurdo: um cego e outro surdo, nessa já clássica cena da briga no bar, um ajuda o outro como pode.

Como não dá pra escolher o melhor de “O Jovem Frankenstein”, vai uma compilação linda, inclusive com a cena do “walk this way” que, diz a lenda, foi a responsável pela criação da música do Aerosmith.

Duvido que “Billy Lynn’s Long Halftime Walk” seja bom como o trailer.

“Billy Lynn’s Long Halftime Walk” parece ser um filme bem bacana por esse trailer.

Mas é dirigido pelo Ang Lee pós “A Vida de Pi”.

O cara deve ter feito um filme pra mostrar que ele é um bom diretor e que o povo dos efeitos especiais também é bom e que o povo da direção de arte também é bom e por aí vai até que o filme seja uma porcaria.

Vale o trailer:

Jóhann Jóhannsson vai fazer a trilha do novo “Blade Runner”.

Melhor notícia de uma manhã: o seu autor preferido vai fazer a trilha da continuação do seu filme preferido.

Jóhann Jóhannsson, o islandês autor das melhores trilhas dos últimos anos e um puta autor clássico vai fazer a trilha da continuação de “Blade Runner”.

Dentre suas trilhas estão as de “Sicario” e “Prisioneiros”, dirigidos pelo mesmo Denis Villeneuve que já está dando vida ao que, tomara, será um puta filme com Ryan Gosling no papel principal e Harrison Ford repetindo o papel do policial Deckard do primeiro filme.

Olha a lindeza que é essa música que vai estar no novo álbum solo do Jóhann Jóhannsson.

Bill Paxton morto pelo Alien, Predador e pelo Terminator.

 

Bill Paxton é o único ator do mundo que teve a honra de ser morto pals mãos (ou garras ou patas) dos 3 maiores “monstros” do cinema: alien em “Aliens”, o Exterminador do Futuro e o predador em “Predador 2”.

Respect!