A primeira imagem de “Centopéia Humana 3″.

Parem as máquinas: o diretor Tom Six liberou a primeira imagem da última parte de sua trilogia absurda “Centopéia Humana”.
E apesar de não mostrar nenhum cu costurado a nenhuma boca, vemos o “astro” do primeiro Dieter Laser e Laurence R. Harvey que arrasa literalmente no segundo filme.
E o diretor Six explicou:
“THC Parte 3 será totalmente diferente de partes 1 e 2 e, certamente, não é tão sério. Mas vai ser o mais controverso politicamente falando. Vai ter muito auto-ironia e será o mais sombriamente cômico dos três. Partes 1 e 2 têm um feeling muito europeu. Parte 3 é muito americano com o maior orçamento, uma grande trilha sonora, widescreen, e uma centopéia humana XXL. Ele se passa em uma prisão de segurança máxima norte-americana no meio do deserto. Sem mais detalhes do roteiro, mas se você deixar sua imaginação correr solta acho que você pode ter idéias.
Human-Centipede-3

O Oscar que era da Samsung mas é da Apple e do Leto e de “Gravidade” que faz a maçã cair.

A situação do cinema hoje em dia é tão estranha e bizarra que no maior show de premiação da maior indústria cinematográfica do mundo, a americana, depois de entregarem prêmios por mais de 3 horas, o que mais se comenta nos dias após foi uma ação de marketing de um celular.

A Samsung gastou mais de 20 milhões de dólares em anúncios durante a transmissão do Oscar. E exigiu, de novo, exigiu, que o aparelho que eles anunciavam, aparecesse durante a transmissão, em uma das grandes ações de merchandising de todos os tempos.

Primeiro eles deram celulares para alguns novos diretores e mandarem os caras fazerem curtas no tapete vermelho, nos bastidores. E depois, numa estratégia de mestre, colocaram um aparelho nas mãos de Ellen DeGeneres, a apresentadora da cerimônia.

Ela passou a noite toda falando de “selfies”, a palavra mais googlada de 2013 e a coisa mais absurda do mundo contemporâneo, a confirmação do amor próprio exacerbado e da falta de noção das pessoas.

Bom, Ellen e sua equipe tiveram algumas ideias geniais durante a cerimônia, mas a maior de todas foi de tirar uma selfie com Meryl Streep. Só que quando ela parou a cerimônia pra tal, chamou uma “galera” que estava por perto, Brad Pitt, Angelina Jolie, Lupita, Bradley Cooper, Amy Adams, o irmão da Lupita, Julia Roberts, Channing Tatum, Jared Leto (que veio correndo e quase saiu fora da foto) e o resto é história.
most-retweeted-picture

A foto foi tuitada por Ellen, derrubou o twitter e bateu recordeu de retuítes com quase 3 milhões de postagem, abtendo o recorde anterior que era a foto do Obama.

Pra completar, a Samsung disse que vai doar 1 dólar para cada retuíte da foto, o que é menos mal. E no programa da Ellen ontem na tv a empresa deu um celular pra cada um da platéia, só de farra.

Pra termos uma ideia de tudo isso bem besta, esse é um blog de cinema, num post sobre o Oscar 2014 e até agora eu só falei de marketing. Filmes? Oi? Cadê?

Outra ideia absurda da Ellen foi ter pedido pizza no meio da festa, pra mulherada que segundo ela, estava a pelo menos 1 semana sem comer. Daí ligaram pra um delievery perto do teatro e veio o dono do lugar entregar pessoalmente, deu pizza pra todo mundo, saiu com uma gorjeta de 1000 dólares e segundo li, ele ter ido lá com o uniforme do lugar deu a ele um merchan de pelo menos 10 milhões de dólares de graça.

Agora, tudo isso pra contar que na frente das câmeras Ellen era a garota propaganda muito bem paga da Samsung, mas nos bastidores, escondida dos flashes e dos closes de produtos, ela continuou tirando seus selfies e postando em seu twitter, mas com seu velho e bom iPhone, como vemos nessa foto com Channing Tatum:

ellen-tatum
Casa de ferreiro, espeto de pau?
Outro ditado popular.
Na verdade isso pra mim foi mais um “beijinho no ombro”.

John Travolta sendo o escroto de sempre, agora pra 1 bilhão de pessoas.

Idina Menzel é uma das grandes atrizes americanas, uma estrela da Broadway.
No domingo ela cantou a música que ganhou o prêmio, o tema de “Fronzen”.
E ninguém menos que o escoroto gay no armário de quinta John Travolta apresentou da pior forma possível a atriz:

O cara conseguiu ler ERRADO o nome dela, “Adela Dazeem”.

É claro que Idina deu um troquinho, via twitter:
im

Se Travolta olhasse menos pro Benedict Cumberbatch e prestasse mais atenção no que deveria fazer, talvez não fosse tão desrespeitoso:
john-travolta-benedict-cumberbatch

Os parabéns espaciais para “Gravidade”.

Obviamente eu torcia pra “Gravidade” ser o grande o vencedor do Oscar 2014.
No fundo foi, ganhou 7 prêmios.
E Alfonso Cuarón ganhou 2, o que por si só já é o máximo.
Além de mim, um bando de astronautas gostaram um monte do filme e fizeram uns vídeos parabenizando “cast and crew” e a Nasa publicou esses agradecimentos.
E o mais legal, uma astronauta mulher, que deu suporte a Sandra Bullock na época das filmagens, ela lá no espaço e Sandra no estúdio.

Nem todo mundo pode virar diretor, viu Joseph Gordon-Levitt?!

Pra começar, não entendo todo o hype em cima do Joseph Gordon-Levitt.
O cara é um ator bom, nada demais. E o povo baba nele que é uma beleza.
O agente do cara deve ser um gênio.
Bom, ele dirigiu um filme, “Don Jon”, aqui no Brasil “Como Não Perder Essa Muher”, um título porcaria pra um filme porcaria.
como-nao-perder-essa-mulher-de-joseph-gordon-levitt-1386093333230_355x520
Basicamente ele é um gostosão entre aspas gigantescas em New Jersey, um dos lugares mais idiotas de uns Estados Unidos idiotas. Ele malha, tá sempre arrumadinho, mas tudo naquele estilo do Jersey Shore, ruim de dar dó, bem “brega” mesmo.
Só que ele é viciado em pornografia na web, não consegue encontrar uma mulher que o satisfaça tanto quanto as porn stars que ele vê online.
Passa o filme comparando o clitóris de uma virtual com uma real que ele pegou, depois o peito de uma star com o de outra que ele pegou, depois a bunda e assim por diante.
Ele leva a mulher pra casa, transa com ela, dorme de conchinha, mas no meio da noite ele se levanta da cama e vai pro computador bater uma.
Bom, história beeeeesta pra um filme mais besta ainda.
Mas o detalhe é o seguinte: o cara não sabe dirigir.
Ser diretor é um trabalho árduo, tem que saber onde colocar a câmera, como mostrar tudo, ver se a direção de arte é boa, se a fotografia tá certa.
E ele erra em todos os quesitos.
Os personagens do filme são todos caricaturas de caricaturas.
A única que quase se salva é a Juliane Moore, porque bom, ela é ela.
Uma tristeza.
Mesmo com o filme ruim e fracassado, ele continua fazendo um monte de coisas, inclusive um canal do youtube pra curtas, querendo conteúdo grátis e tal.
Se esse filme aparecer na sua frente, passe pro próximo, porque nem a Scarlett Johansen de burra gostosa salva.