“The Lure”, meu tipo de filme.

Sereias que se alimentam de coração humano, lindas e nuas e cantam numa boite polonesa nos anos de chumbo.

The-Lure_poster_goldposter_com_1.jpg

“The Lure” se passa na Polônia comunista numa fantasia da diretora Agnieszka Smoczynska e segundo ela é sobre como ela se lembra dessa época de sua infância.

Sucesso em Sundance, não vejo a hora de assistir.

Charlie Hunnam é o Rei Arthur das ruas.

Finalmente saiu o trailer do filme do Rei Artur dirigido pelo Guy Ritchie.

“King Arthur: Legend of the Sword” é estrelado pelo nosso preferido Charlie Hunnam e tem ainda Jude Law como Merlin.

Parece que no filme Arthur é meio que um delinquente de rua que se torna rei, prato feito pros malabarismos cênicos de Ritchie.

E o Merlin é o nosso também Jude Law.

Sempre fico com medo dos filme do Guy Ritchie e sempre me surpreendo pro bem.

Chega logo março de 2017.

Ah, e aqui vão mais umas fotos do fofo do Hunnam, porque sim.

De boca nos filmes.

A make up artist australiana Jazmina Daniel caiu de boca nos filmes.

Apaixonada por cinema, ela criou uma série usando lábios e unhas, em closes lindos de cenas bacanérrimas.

Maravilhoso trailer do filme novo do Malick.

Bem chocado com o trailer de “Voyage of Time”, o filme novo do Malick feito em IMAX que pretende contar a história do universo.

O diretor mais filosófico dos EUA deve acertar em cheio nessa empreitada.

O filme estreia em outubro numa versão de 40 minutos exclusiva dos cinemas com projeção IMAX narrada pelo Brad Pitt.

voyage-of-time-poster-691x1024

Depois o filme reestreia numa versão mais longa de 90 minutos para todas as outras salas  narrada pela Cate Blanchett.

Nada mal.

Sem mais.

O raioX original do carrinho no c* do Jackass.

Das melhores histórias dos últimos tempos.

Minha amiga holandesa Patricia me mandou esse curta que o diretor holandês Mr Boonstra  fez sobre um amigo dela envolvido em uma das melhores cenas da televisão de todos os tempos, o carrinho no cu do Ryan do Jackass.

Você se lembra do primeiro filme do Jackass de 2002, né?

Engraçado, ultrajante, bizarro, pré-Pânico e afins.

Nos extras do DVD os caras lançaram uma sequência que ficou fora do filme e que na minha opinião é a melhor coisa  que eles já fizeram: Ryan Dunn introduz em seu ânus um carrinho dentro de uma camisinha e vai pro Pronto Socorro dizendo que estava bêbado numa festa e acordou com uma dor na bunda e não sabia o que era.

O médico e a enfermeira que o atenderam ficaram chocados com o que viram e eu me lembro muito do médico falando pra ele com o raio X na mão: “eu sei disso, ela (a enfermeira) sabe disso e você sabe disso e já é gente demais”.

Gênios! Pra mim essa sequência traduz muito o espírito Jackass e mostra o quanto os caras eram fodões e ninguém chegou aos pés deles.

Corta para Mr Bourdrez, advogado e colecionador de arte holandês que resolveu que queria ter o Raio X original do feito.

Ele mandou uma carta aos caras e ofereceu uma Mercedez 420SEC 1989.

Dann aceitou, o holandês mandou o carro mas o governo americano não deixou que entrasse nos EUA por causa de legislação de segurança.

Daí o holandês resolveu o problema de outra forma e o filme mostra o quanto a vida é engraçada e que dá voltas e tudo termina onde começou.

Detalhe: Mr Bourdrez agora colocou à venda o raio X original.

Algum interessado?

Filmaço.

Mashup animal: diretores de filmes e suas criaturas.

O artista americano Mike Leavitt criou esculturas absurdas de diretores de filmes misturados com suas criações fílmicas.

Tem de Quentin Tarantino a Steven Spielberg, Stanley Kubrick e George Lucas.

Pop até a alma.

“Captain Fantastic” deve ser O filme.

Se não bastasse ter o Viggo Mortensen.

Se já não bastasse Matt Ross ter ganho o prêmio de melhor diretor em Cannes na mostra “Un Certain Regard”.

Se ainda não bastasse ter o melhor trailer dos últimos tempos.

Se não bastasse tudo isso, “Captain Fantastic” ainda ganhou um poster feito pelo geniozinho Shepard Fairey, só o cara que fez o poster “Obbey” do Obama.captain-fantastic1.jpg

Cenas cult como ilustrações infantis.

O ilustrador da Pixar  Josh Cooley lançou o livro “Movies R Fun” onde ilustra cenas clássicas de filmes cult como se fossem cenas de livros infantis.

“Alien”, “2001”, “O Iluminado”, “Pulp Fiction”, O Clube da Luta”, cenas fortes, e violentas com uma carinha fofinha.

Trampo lindo.

“Midnight Special”: Melhor. Filme. Do. Ano.

Jeff Nichols é o meu diretor americano preferido.

Seu mais recente filme, “Loving”, passou em Cannes esse ano com críticas muito boas.

Mas são seus filmes anteriores que me fizeram babar por tudo que ele faz.

“O Abrigo” é um filme de 2011 que conta a história de um pai de família no meio do nada americano que tem visões apocalípticas e não sabe se tem que proteger sua família do que está por vir ou se tem que protegê-los dele mesmo, vivido pelo ótimo e pouco valorizado Michael Shannon.

Seu outro filme lançado esse ano, “Midnight Special”, é o cúmulo do filme maravilhoso de ficção científica e conta a história de um pai (de novo o ator fetiche de Nichols, Michael Shannon) que foge com seu filho do FBI e de uma seita bizarra que estão atrás do garoto por causa de seus dons mais que especiais.

Imagine um drama muito tenso, com muita perseguição policial, violência e que de repente não é nada disso mas sim uma fantasia, uma ficção científica como poucas.

Além de Shannon o filme tem meu preferido Joel Edgerton e a fodona Kirsten Dunst já com cara de mulher e não mais de menina mais nova.

Roteiro foda, paranóias nossas do dia a dia, construção de roteiro incrível e o melhor final de filme dos últimos tempos, “Midnight Special” é daqueles imperdíveis pela tensão, pelo amor dos pais pelo fiho que é praticamente um X-Man.

Imperdível.